domingo, 4 de agosto de 2013

O modelo Cristão

Nós ocidentais estamos todos sob a influência do mito de Cristo.
Cristo é o modelo daquele que viveu seu próprio destino. O ato de carregar a sua própria cruz simboliza aceitar seu destino sem se deixar influenciar pela pressão social.
E a  sua crucificação nos mostra que a única forma de alcançar a consciência é por meio do conflito. O conflito de estar suspenso entre os opostos suportando o sofrimento de uma escolha ética.
Cristo suportou o sofrimento não de uma escolha egóica, mas de uma determinação do Self, mantendo-se leal a ele.
Portanto, somente sendo leais aos nossos processos psíquicos, sem ceder aos caprichos do ego, e fazendo os sacrifícios necessários, encontraremos a verdadeira consciência.
E, no processo de individuação, cada escolha, cada sacrifício é pessoal e intransferível. Não podemos imitar o caminho de outro, nem mesmo o do próprio Cristo. Esse caminho é solitário e deve ser descoberto por cada indivíduo.